Gravidez

Miomas podem ser causas de abortos recorrentes; saiba por quê

 | 

Nada causa mais desamparo e sensação de impotência em uma mulher que um aborto espontâneo após ela experimentar a felicidade de saber que estava gerando um filho. Mas, infelizmente, a perda de bebê nos primeiros meses de vida é algo relativamente comum e miomas podem ser causas de abortos recorrentes, segundo especialistas.

Aliás, estatísticas apontam que cerca de 15% das futuras mamães passam pela decepção de um aborto espontâneo. E o que é pior, se a primeira gravidez terminou em um aborto, há mais ou menos 14% de chance de a gravidez seguinte não ser bem-sucedida novamente. Depois de dois abortos espontâneos, as chances de ter um terceiro praticamente dobram, ficando em torno de 26%.

Leia também: Aborto espontâneo: a dor de perder um bebê

Os abortos recorrentes ou habituais são aqueles que ocorres por três vezes, de forma consecutiva, antes de 20 semanas de gestação. Entre 1% a 2% das mulheres sofrem abortos recorrentes.

Extração reduz chance de abortos recorrentes

A medicina está longe de fechar todas as causas dos abortos recorrentes, porque apenas em metade dos casos é possível identificar uma origem específica para o problema. Sabe-se com certeza absoluta, por exemplo, que anormalidades nos cromossomos estão entre as causas.  Alguns problemas no útero, entre eles miomas, pólipos e disfunção hormonal também estão ligados à condição.

A boa notícia é que a remoção cirúrgica de miomas que distorcem a cavidade do útero foi capaz de reduzir o risco de aborto no segundo trimestre de gravidez a zero. Foi o que mostrou um estudo publicado na revista Human Reproduction.

“Alguns tipos de mioma nascem na parede uterina. Ao crescerem, eles podem distorcer a cavidade do órgão. São os chamados miomas intramurais, uma das causas de infertilidade”, comenta Dr. Edvaldo Cavalcante, cirurgião ginecológico.

Foi a primeira vez que se encontrou evidências de que esse tipo de mioma está entre as causas de abortos habituais. Sabia-se que eles estavam associados aos abortos espontâneos, mas não recorrentes. O estudo estimou, ainda, que a prevalência de miomas em mulheres com abortos recorrentes chega a 8,2%.

Miomectomia preserva o útero

A miomectomia é a técnica cirúrgica utilizada para preservar o útero em mulheres que desejam engravidar. Ela pode ser realizada por meio de técnicas minimamente invasivas, com menos riscos, menor custo e recuperação mais rápida.

Entre as técnicas utilizadas estão a videolaparoscopia, videohisteroscopia ou ainda a miomectomia por cirurgia robótica, esta última indicada para casos mais complexos ou mais delicados, que necessitam de alto detalhamento e precisão.

Com informações da assessoria

+abortos recorrentes; +abortos espontâneos; +abortos

2 Comments

  1. Pingback: Saiba qual a importância do ácido fólico na gravidez e antes dela

  2. Pingback: Risco de parto prematuro é maior para portadoras de endometriose

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *