Bem-estar

Introduzindo novos alimentos à dieta do bebê. O que oferecer primeiro?

 | 

Após os seis meses de idade, período que a criança deve receber exclusivamente o leite materno, os pais já podem começar a introduzir novos alimentos à dieta do bebê, valendo o mesmo prazo para os pequenos que, por algum motivo, tomem leite artificial. Mas, atenção! É preciso fazer uma seleção rígida para garantir saúde e bem-estar à criança, visto que o sistema digestivo dela ainda não está preparado para digerir qualquer tipo de alimento.

A nutricionista Luma Castro, especialista em segurança alimentar, orienta que, nos primeiros dias dessa nova fase do bebê, os pais ofereçam somente suco e chá. Depois de uma ou duas semanas de experiência é que podem apresentar outras novidades. Ela alerta que o suco não deve ser considerado uma refeição, apenas uma introdução para a nova dieta e que, posteriormente, poderá ser servido uma ou duas vezes após as principais refeições.

“Tem de começar com calma. O bebê precisa ser preparado para receber os novos alimentos. Então, eu sugiro que, antes de oferecer as famosas ‘papinhas’ ou ‘sopinhas de legumes’ deve-se começar com suco de fruta. O ideal para essa fase dos seis meses é o suco de melancia, que não contem muita acidez, como ocorre com o de laranja e abacaxi, por exemplo. Esses, só recomendo para depois dos nove meses”, orienta.

novos-alimentos-bebê

Sem acidez, a melancia é um bom alimento para bebês

Outra dica que pode ser bastante proveitosa para a criança, segundo a especialista, é o chá de camomila. “Além de ser bastante relaxante, a maioria dos bebês recebe muito bem”.

Luma Castro também diz que, nesse momento, é importante que a mãe verifique como a criança reage ao tomar o suco ou chá. Depois, já pode ser oferecida a papinha. “Sugiro que sejam frutinhas amassadas, como banana, maçã, pera ou melancia. O ideal é que não sejam batidas no liquidificador. Assim, o bebê consegue sentir bem o sabor das frutas”, ensina a nutricionista.

Muitos pais questionam o porquê da recomendação de só se introduzir novos elementos à dieta do bebê depois dos seis meses, por isso os especialistas em nutrição e pediatria reforçam que, somente a partir dessa idade, o sistema digestivo da criança está preparado para digerir outras comidas que não o leite, bem como o fato de seu organismo estar mais forte para combater possíveis reações alérgicas e infecciosas que venham a ocorrer por conta da nova variedade de alimentos.

Redação Filhos&Tal

 

+ novos alimentos, + dieta do bebê, +novos alimentos para o bebê; +alimentos após a amamentação 

7 Comments

  1. Caroline Garcez

    12 de setembro de 2017 at 15:56

    Muito bom.
    Gostei muito da matéria.
    Parabéns

    • filhosetal

      12 de setembro de 2017 at 19:55

      Agradecemos pelo incentivo, Caroline.

  2. Pingback: Entenda as diferenças entre alergia ao leite e intolerância à lactose

  3. Pingback: Quando e como desmamar o bebê sem traumas nem culpas – veja dicas

  4. Pingback: As melhores dicas sobre como higienizar os dentes do bebê

  5. Pingback: Consulta pública vai atualizar o Guia Alimentar para Crianças de até 2 anos

  6. Pingback: Dentição: porque o bebê sofre com o nascimento dos dentes e como ajudá-lo

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *