Gravidez

Pés inchados na gravidez: saiba porque ocorre e como cuidar

 | 

É comum ouvir mulheres reclamarem de pés inchados na gravidez, assim como os tornozelos e até mesmo outras partes do corpo. Mas por que isso ocorre tão frequentemente com as grávidas? É normal? Todas incham ou há como evitar? Como tratar?

Os questionamentos sobre pés inchados na gravidez são muitos e comuns à maioria das gestantes, por isso filhos&tal preparou este texto com muito carinho para ajudar a esclarecer algumas delas. Confira e repasse para as amigas com questionamentos parecidos.

Bem, segundo especialistas no assunto, o inchaço, cujo nome técnico é ‘edema’, acontece porque, na gravidez, a mulher retém uma quantidade maior de líquido do organismo. Mas, embora ter os pés inchados na gravidez seja algo relativamente comum, esse estado não pode ser considerado ‘normal’.

Com o crescimento do bebê na barriga da gestante, o útero tende a pressionar a veia cava (que fica na parte direita do corpo e recebe o sangue das pernas), o que ocasiona uma circulação sanguínea mais lenta, onde o sangue acaba ficando acumulado.

Quando isso acontece, o sangue preso faz com que a água desça para os pés e tornozelos, formando um acúmulo de água que, geralmente, é absorvido pelo corpo, causando o inchaço.

Para a ginecologista e obstetra Mariana Telles, qualquer pé inchado na gestação precisa ser avaliado por um profissional, para saber se esse edema nos membros inferiores está ou não relacionado à alguma doença que a grávida esteja desenvolvendo ou tenha desenvolvido antes da gestação.

“Às vezes, a paciente pode ter uma insuficiência venosa, onde as veias dos membros inferiores não estão funcionando direito e isso tem de ser tratado e acompanhado. Uma outra situação que pode ocasionar os pés inchados na gravidez é quando se tem algum problema renal, em que o rim da gestante não esteja funcionando direito. A pressão alta – que pode ser anterior à gravidez, é mais uma possibilidade e pode ser ainda a DHEG (Doença Hipertensiva Específica na Gravidez)”, explica a médica.

Leia também: 
Gravidez tardia e fertilidade. Quais os riscos?

Alerta
Os pés inchados na gravidez tornam-se um sinal de alerta quando aparecem de uma hora para outra, quando vêm acompanhados de alterações na pressão arterial ou nos exames de sangue.

“A primeira coisa para tratar o edema é saber a causa dele. Sabendo a causa, a gente entra para o tratamento”, diz a obstetra Mariana Telles.

Mas, de toda forma, é preciso calma e serenidade ante o problema, pois, nos casos mais comuns, os pés inchados na gravidez originam-se por conta do aumento de peso, do aumento abdominal e aumento do útero, quando a circulação sanguínea funciona de maneira mais lenta.

Dicas e cuidados
Nesses casos, é indicado sentar-se com os pés elevados sempre que possível e não ficar em pé por períodos muito longos. A prática de atividades físicas e a reeducação alimentar também ajudam a aliviar e/ou até sanar o problema.

“Retirar do cardápio comidas industrializadas, frituras e com alta concentração de sal ou açúcar também ajuda. Devendo esses hábitos serem evitadas ao máximo durante a gestação”, orienta a nutricionista Suellem Castro.

Ainda segundo ela, é recomendado ingerir sempre frutas diuréticas, como laranja, maracujá, melancia, morango e limão, além de “beber muita água para estar sempre bem hidratada e, assim, diminuir a retenção de líquidos”, evitando os pés inchados na gravidez.

Em algumas situações, o uso de meias de compressão nas pernas facilita a circulação sanguínea, mas precisa ser uma indicação do seu obstetra.

 

Édria Caroline
filhos&tal

Se este texto foi útil para você, compartilhe com outras mulheres que também possam estar com problemas de pés inchados na gravidez. A informação é um excelente remédio para muitas doenças.

 

1 Comment

  1. Pingback: Descolamento de placenta: quais os riscos para mãe e bebê?

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *