Educação

Recuperação escolar: 12 dicas infalíveis para ajudar os filhos a vencê-la

 | 

Diferente do que muitos pensam, a recuperação escolar não é uma ‘punição’ por seu filho ou filha não ter dado conta de determinada matéria durante o ano letivo normal e sim uma oportunidade para que consiga superar as dificuldades que teve na disciplina.

Mas, para que tenha êxito nesse processo, a participação dos pais é fundamental, então, filhos&tal preparou algumas dicas especiais para que você possa ajudar o seu filho ou filha a encarar e vencer os desafios da recuperação escolar. Confira:

1 – Ao invés de insultos e palavras negativas sobre seu ‘fracasso’, converse francamente com seu filho(a) e tente entender exatamente qual ou quais as dificuldades tem em relação à matéria que precisa recuperar e, se possível, também com o professor responsável pela disciplina, para ter uma ideia clara do que realmente ainda pode ser feito.

2 – Também não se culpe, nem se desespere. Tirar nota baixa ou ficar de recuperação escolar não significa que seu filho(a) é burro(a). Infelizmente, o sistema de ensino no Brasil obriga os alunos a estudarem sobre coisas com as quais não têm afinidades e isso dificulta muito seu desempenho. Além disso, inúmeros doutores e profissionais bem-sucedidos de hoje também tiveram dificuldades nos primeiros tempos de escola e até mesmo na graduação e após ela, o que não os impediu de prosperar.

3 –Conscientize-se de que a luta do seu filho ou filha na recuperação escolar é também a sua luta e reveja os seus métodos e práticas de acompanhamento dos estudos dele ou dela, tendo a certeza de que, tão importante quanto o empenho do aluno em estudar para aprender é o dos pais em, efetivamente, acompanhá-lo no processo de aprendizado.

4 – Fale francamente com a criança (ou adolescente) em relação à gravidade da situação sobre a recuperação escolar, mas não lhe amedrontando. Ao contrário, procure encorajá-la com palavras positivas, incentivadoras, que lhe passem confiança sobre sua capacidade de superar obstáculos e deixando claro que ela pode contar com sua ajuda nessa batalha. O amor e o incentivo dos pais são fundamentais para o estudante nessa hora.

recuperação escolar

5 – Se houver condição financeira, invista em aulas extras de reforço. Ter um professor dando atenção exclusiva às dificuldades da criança ou adolescente melhora muito o seu desempenho, já que, às vezes, o aluno não consegue aprender devido à metodologia da escola, que divide às atenções na sala de aula.
Segundo Sueli Adestro, coordenadora pedagógica da Tutores Brasil – rede de educação multidisciplinar, em época de recuperação escolar, é necessário que o aluno tenha um bom acompanhamento e seja orientado por pessoas extremamente capacitadas para ajudar.

6 – Mas, se esse não for o seu caso (afinal, dinheiro não sobra fácil para ninguém), organize-se para fazer o papel do professor de reforço ou peça ajuda a algum parente (avó, tios, primos mais velhos etc.). O importante é que o aluno em recuperação escolar tenha um tempo dedicado a ele, até para sentir-se motivado e confiante.

Leia também: Os números são um ‘bicho papão’ para o seu filho? O problema pode ser discalculia

7 – Não prive a criança ou adolescente de poder brincar e espairecer as ideias com alguma atividade recreativa. Ainda que em menor escala, isso precisa acontecer para arejar as ideias do aluno, de modo que ele não veja o estudo para a recuperação escolar como se fosse um castigo. Nesse contexto, é importante montar com o estudante um cronograma de horários, para que ele próprio veja a necessidade de dedicar mais tempo aos estudos que às brincadeiras.

8 – É interessante fazer algumas perguntas contextualizadas sobre o conteúdo estudado em horários que nada têm a ver com a aula de reforço, como durante um passeio, ou no trajeto de volta para casa, ou mesmo na hora das refeições, pois isso ajuda a criança a internalizar o conhecimento sem que isso lhe pareça uma cobrança.

9 – Use a tecnologia a favor do aprendizado de seu filho ou filha. Incentive-o(a) a pesquisar na internet conteúdos relacionados ao que está precisando. Ele (a) vai ver que existem muitos fóruns de estudantes com as mesmas dúvidas, e também pessoas dispostas a ajudar, oferecendo explicações detalhadas e até com ilustrações. Para quem gosta de vídeos, alguns canais no YouTube podem ser uma excelente fonte de aprendizado para a recuperação escolar.

recuperação escolar

10 – “Nosso cérebro precisa de lembretes para consolidar as memórias. Fazer apontamentos, fichar, selecionar e utilizar as palavras chave durante o estudo é uma maneira de acionar as memórias associativas para o momento em que o aluno necessita da informação na prova”, indica a pedagoga Sueli Adestro.

11 – Ela também fala que, passar a noite em claro tentando decorar o conteúdo de uma prova, não é uma boa alternativa. Dormir bem é fundamental, pois assim o cérebro responde melhor e mais rapidamente quando for necessário acionar uma memória associativa, prestar atenção, usar a memória visual, auditiva e todos os sentidos.

“Sempre que estudamos e fazemos uma prova, devemos levar em consideração a emoção, pois o conhecimento e a educação fazem sentido a partir do momento em que o aluno enxerga sentido nele, ou seja, ele deve fazer valer a pena, ter em mente que ele é o real pesquisador, é ele quem vai atrás das informações. A escola tem os livros didáticos e paradidáticos, mas a informação é o aluno quem dá sentido”.

12 – Oriente seu filho(a) para que, no dia da prova, faça uma calma e concentrada leitura do conteúdo e das questões que foram colocadas. Em seguida, responda primeiramente as questões das quais tem pleno domínio, não é aconselhável gastar muito tempo em uma questão que não é possível responder naquele momento. O mais indicado é escolher as perguntas mais fáceis e deixar os mais difíceis para depois, para que o aluno volte e repense.

É isso, se você gostou das dicas, compartilhe nas suas redes sociais ou com amigos que também possam estar precisando deste incentivo para ajudar os filhos na recuperação escolar.

filhos&tal

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *