Gravidez

Visita ao dentista também deve ser rotina durante o pré-natal

 | 

As gestantes que apresentam problemas gengivais têm maior propensão a dar à luz a bebês prematuros e abaixo do peso normal. Mas, por desconhecimento, ou por acreditar que nesta fase não se pode realizar tratamentos odontológicos, muitas grávidas deixam de incluir a visita ao dentista como um dos cuidados básicos durante o pré-natal, o que é um equívoco, segundo especialistas.O dentista Ricardo Andrade Melo, do ‘Grupo Qualidade em Saúde Manaus’, afirma que a gravidez em si não causa problemas gengivais. Porém, devido a alterações hormonais, a gengiva da mulher fica mais sensível e propensa a sangramentos.
Além disso, as alterações nos hábitos alimentares, com uma dieta mais rica em carboidratos e a ingestão de alimentos em intervalos menores, também podem acarretar problemas, sobretudo no que diz respeito ao aparecimento de placas bacterianas e cáries.
Nesse sentido, é preciso adotar práticas que minimizem esses prejuízos. “É necessário uma higienização mais rigorosa, já que as alterações hormonais vão predispor as gengivites de uma maneira aumentada. Além disso, é bom evitar beliscar alimentos, principalmente os açúcares, entre as refeições, e dar preferência às frutas”, avisa Melo.
Ele também destaca que “os enjoos durante a gravidez podem dificultar a higienização, pois, quase que inconscientemente, a gestante tende a não fazer uma escovação adequada, visto que a própria escova induz ao enjoo”.
Ainda de acordo com os profissionais de odontologia, os enjoos e vômitos, quando recorrentes, podem provocar erosões ácidas ou descalcificações nas superfícies dos dentes da gestante, favorecendo e/ou acelerando o desenvolvimento de outras doenças bucais que podem progredir, inclusive, para problemas endodônticos (de canal) e chegar à perda de dentes. Daí a necessidade de cuidados redobrados.
“A grávida pode diminuir a quantidade creme dental, ou usar outro sabor, por exemplo. O importante é que seja feita a escovação e a utilização do fio dental de maneira criteriosa”, recomenda Ricardo Melo.

Atenção individual
Estudos mostram que focos de infecção dentária podem contribuir para o agravamento de problemas pré-existentes ou adquiridos em situações de gestação de alto risco, levando a prejuízos tanto à gestante quanto ao feto.
Por causa desses fatores, é recomendado que as futuras mamães façam o pré-natal odontológico desde o início da gravidez. O dentista vai avaliar a necessidade de realização de algum tratamento e orientar as ações preventivas. A gestante também começa a se preparar para cuidar dos dentinhos do bebê.
“Se ela apresentar alguma alteração bucal, cáries ou gengivites, o profissional de odontologia vai poder identificar essas necessidades, fazer as recomendações necessárias, deixá-la mais tranquila durante a gravidez e ainda orientar todos os cuidados com o futuro bebê. Esse tratamento vai facilitar muito a prevenção de qualquer problema nesse período tão importante”, salienta.

Redação Filhos&Tal

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *