Comportamento

Aprovado apadrinhamento de criança por interessado em adoção Proposta é destinada aos programas de acolhimento familiar ou institucional

 | 

A Comissão de Seguridade Social e Família aprovou nesta quarta-feira (6) projeto que permite que pessoas inscritas em cadastros de adoção também atuem como padrinhos ou madrinhas de crianças e adolescentes inseridos em programas de acolhimento familiar ou institucional.

O substitutivo aprovado é de autoria da deputada Flordelis (PSD-RJ), ao Projeto de Lei 9987/18,do deputado Diego Garcia (Pode-PR).

deputada-flordelis

“Programa de apadrinhamento pode ser um caminho para a adoção”, defendeu a deputada Flordelis, autora do substitutivo – foto: Agência Brasil

Segundo o texto da parlamentar, poderão ser padrinhos ou madrinhas pessoas maiores de 18 anos que sejam pelo menos 16 anos mais velhos que o apadrinhado. Essa regra da diferença de idade é a mesma para a adoção de crianças. Antes, constava apenas idade mínima de 18 anos.

“Com esse novo texto proposto, nos casos em que surja o desejo de adotar durante os programas de acolhimento, poderão ser evitadas situações em que a diferença de idade seja um obstáculo”, explicou Flordelis.

Leia também: Adoção tardia – casal de Manaus adota grupo de irmãos e se diz realizado

O projeto altera o Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA). O apadrinhamento em programas de acolhimento familiar ou institucional consiste em proporcionar à criança e ao adolescente vínculos externos com o objetivo de estabelecer convivência familiar e comunitária e colaboração com o seu desenvolvimento nos aspectos social, moral, físico, cognitivo, educacional e financeiro.

Tramitação

O projeto, que tramita em caráter conclusivo, será analisado agora pela Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *