Saúde

Casos de câncer de tireoide em crianças e adolescentes aumentam

 | 

Um estudo médico revela um aumento nos casos de câncer de tireoide em crianças e adolescentes de 0 a 19 anos. Geralmente, esses pacientes são assintomáticos e com formas benignas da doença.

De acordo com os autores da pesquisa, nos últimos anos, as notificações do câncer de tireoide em crianças e adolescentes têm crescido em vários países. O projeto foi liderado por cientistas da Agência Internacional para Pesquisa sobre Câncer (Iarc), que é parte da Organização Mundial da Saúde, OMS.

Densidade demográfica
Até 2000, os casos de câncer de tireoide em crianças e adolescentes eram raros no mundo, mas com a alta na taxa de incidência, os pesquisadores concluíram que a principal causa pode ser o chamado super diagnóstico, ou seja, quando os exames são realizados em pacientes sem sintomas ou fatores de risco. Neste caso, na grande maioria das vezes, a doença não avança para um quadro letal.

A investigação foi publicada na revista especializada The Lancet Diabetes e Endocrinologia, com dados de 49 países e territórios incluindo alguns com densidade demográfica em nações de baixa e média rendas.

O cientista-chefe do estudo, Salvatore Vaccarella, afirmou que as características epidemiológicas dos exames em crianças e adolescentes são bem semelhantes àquelas encontradas em adultos.

Leia também: A importância da rotina para saúde mental de crianças e adolescentes

Ultrassonografia
O super diagnóstico de câncer de tireoide em crianças e adolescentes ocorre devido ao aumento em exames de controle da glândula da tireoide assim como da introdução de novas formas de diagnóstico incluindo a ultrassonografia da nuca e do pescoço.

Assim, as equipes médicas perceberam que muitos tumores não são malignos ou letais, mas que estão localizados na glândula da tireoide em pacientes saudáveis de qualquer idade incluindo crianças e adolescentes.

O problema do super diagnóstico, no entanto, ocorre mais em contextos onde os serviços de cuidados de saúde não são bem regulados.

Em crianças e adolescentes, ele tem consequências importantes para a qualidade de vida. A maioria dos pacientes são meninas, uma vez que o câncer da tireoide é mais frequente em meninas que meninos.

Aconselhamento médico
A doença pode ser tratada com cirurgia ou com radiação, embora uma vigilância ativa sem o tratamento não seja recomendada

Crianças nessa situação, geralmente, passam por uma operação para retirada da glândula, conhecida como tireoidectomia, e precisam de terapia hormonal para o resto da vida.

Vaccarella, afirma que com base nos resultados da investigação, deve prevalecer o aconselhamento médico contra a realização de ultrassonografia para detectar câncer de tireoide em adultos assintomáticos. Pelo estudo, essa recomendação deve ser ampliada.

Pessoas que não indicam fatores de risco não devem fazer o exame assim como crianças e adolescentes que não apresentem qualquer sintoma.

Agência ONU