Cuidado Infantil

Como manter a produção de leite materno no retorno ao trabalho

 | 

Uma das maiores preocupações das mães trabalhadoras que amamentam é sobre como manter a produção de leite materno no retorno ao trabalho, ou seja, quando acaba a licença maternidade. Por isso, filhos&tal conversou com uma especialista no assunto e trouxe para suas leitoras e leitores algumas dicas bem interessantes.

Como se sabe, a Organização Mundial de Saúde (OMS) recomenda o aleitamento materno exclusivo até os 6 meses de vida do bebê, e até 2 anos ou mais como complemento alimentar. Entretanto, no Brasil, a licença maternidade ainda é de apenas quatro meses (120 dias), salvo algumas exceções. Então, como manter a produção de leite materno no retorno ao trabalho?

De acordo com a enfermeira e consultora materna Rhamilly Amud Karam, o que faz manter a produção de leite materno é a sucção do bebê. Existem mulheres que produzem mais e outras que produzem apenas o suficiente para alimentar os filhos, mas o que mantêm a regularidade na quantidade é o número de vezes que a mãe oferece o peito ao bebê. Então é importante que ela dê pelo menos 12 vezes durante o dia.
producao-de-leite-materno-3

É a falta da amamentação que faz diminuir a produção de leite materno no retorno ao trabalho. Porém, se a mãe mantiver o ritmo por meio de ordenhas regulares, ela continuará tendo leite suficiente para alimentar o seu bebê, não só até completar os seis meses preconizados pela OMS como também para os 2 anos ou mais de complementação alimentar.

“É importante que a mãe se organize para essa nova rotina, se possível com antecedência mínima de pelo menos 15 dias, quando deve iniciar o processo de ordenha e armazenamento do leite”, orienta Rhamilly Amud Karam.

A enfermeira e consultora materna destaca, ainda, que a mãezinha deve dar o peito ao bebê antes de sair para o trabalho, e ao retornar deste, em livre demanda, bem como à noite.

“A gente sabe que, quando chega do trabalho, a mãe deseja descansar e, muitas vezes, o período da noite é o único que sobra pra isso. Mesmo assim, há que se fazer um esforço para amamentar pelo menos uma vez à noite, para ajudar a mantar altos os hormônios que ajudam na produção do leite materno”, orienta.

Ordenha no trabalho
A especialista também chama a atenção para a necessidade de a mãe ordenhar adequadamente o seio durante estar na empresa para manter a produção de leite materno. “Algumas mães se queixam de dor por não saberem ordenhar o peito de forma correta, mas se fizerem o procedimento de maneira adequada não terão problema”, salienta.

Ainda segundo a enfermeira, massagear levemente o seio, da base até a aureola (borda escura antes do bico), de forma circular, ajuda a liquidificar e fluidificar o leite. “Depois, é só fazer a famosa ‘mão de C’ (veja na imagem) e pressionar moderadamente a área mais escura antes do bico, de forma a ajudar na canalização do leite materno”, explica.

ordenha-leite

Também é importante que a mãe procure a melhor forma de se adaptar à ordenha, mesmo que seja usando as ‘temidas’ bombinhas. Há inúmeros modelos no mercado e um pode se ajustar a sua necessidade de manter a produção de leite materno no retorno ao trabalho.

“Quanto mais se amamenta, mais se produz leite, então, no retorno ao trabalho, quanto mais a lactante retirar o leite por meio da ordenha, mais ela conseguirá manter a sua produção”, diz Rhamilly Amud Karam.

Armazenamento e aleitamento exclusivo
Para as mamães que desejam alimentar os filhos exclusivamente com leite materno até os seis meses (visto que no Brasil a licença é só de quatro), a consultora orienta que o leite retirado no trabalho pode ser armazenado para abastecer a criança em sua ausência.

“Uma semana antes do retorno, a mãe já pode ‘estocar o leite’ para alimentar o filho enquanto estiver fora de casa. Ele pode ser guardado em portes de vidro com tampa plástica, devidamente esterilizados, ou em saquinhos específicos para essa finalidade”.

Ela destaca que é importante colocar a data da retirada do leite, para controle da validade. Na geladeira (parte de baixo), ele dura até 12 horas, já no congelador, até 15 dias sem perder as suas propriedades.

leite-materno-retorno-ao-trabalho

Outras dicas

* Procurar se preparar psicologicamente para a ordenha no trabalho;
* Usar sutiã adequado a amamentação, de forma não machucar o seio, o que inibe a produção do leite;
* Beber bastante líquido, se possível, pelo menos três litros de água diariamente;

Yndira Assayag
filhos&tal

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *