Cuidado Infantil

Moura Tapajóz completa dez anos como Hospital Amigo da Criança

 | 

A maternidade municipal Dr. Moura Tapajóz teve seu credenciamento como Hospital Amigo da Criança oficialmente renovado nesta quinta-feira (12), após passar por criteriosa avaliação de equipe do Ministério da Saúde (MS) nos dias 11 e 12 de março. O hospital completa este mês 10 anos com o título, que detém desde março de 2010.

A Iniciativa Hospital Amigo da Criança (IHAC) tem o objetivo de promover, proteger e apoiar o aleitamento materno e foi criada pela Organização Mundial de Saúde (OMS) e pelo Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef). Lançada mundialmente em 1991 e no Brasil em 1992, a IHAC visa reforçar as boas práticas no parto e nascimento e estabelecer ações que garantam a prática da amamentação e reduzam as taxas de mortalidade infantil.

Leia também: Trabalho e a maternidade: como está o mercado para mulher mãe?

O título de qualidade é conferido pelo Ministério da Saúde aos hospitais que cumprem os ‘Dez Passos para o Sucesso do Aleitamento Materno’ (instituídos pelo Unicef e OMS), o ‘Cuidado Amigo da Mulher’ (CAM) e a ‘Permanência da Mãe ou do Pai e Acesso Livre de Ambos Junto ao Recém-Nascido’ (PRN). A Maternidade Dr. Moura Tapajóz realiza cursos periódicos com seus funcionários para garantir o ajuste das práticas e o fortalecimento das ações da iniciativa.

“Desenvolvemos um trabalho contínuo de aprimoramento de nossa equipe e ficamos muito felizes que nosso trabalho está sendo reconhecido”, destacou Núbia Pereira, diretora da maternidade Moura Tapajóz. “Estamos em constante trabalho de capacitação de nossos servidores, porque sabemos que, mesmo já habilitados, sempre temos que nos atualizar e nos esforçar para sermos cada dia melhores”, completou.

mãe amamenta bebê na maternidade Moura Tapajós - hospital amigo da criança

Mãe e bebê após parto da maternidade Moura Tapajóz – fotos: divulgação

Conheça os Dez Passos para o Sucesso do Aleitamento Materno:

Passo 1 – Ter uma política de aleitamento materno escrita que seja rotineiramente transmitida a toda equipe de cuidados de saúde;
Passo 2 – Capacitar toda a equipe de cuidados de saúde nas práticas necessárias para implementar esta política;
Passo 3 – Informar todas as gestantes sobre os benefícios e o manejo do aleitamento materno;
Passo 4 – Ajudar as mães a iniciar o aleitamento materno na primeira meia hora após o nascimento; conforme nova interpretação: colocar os bebês em contato pele a pele com suas mães, imediatamente após o parto, por pelo menos uma hora e orientar a mãe a identificar se o bebê mostra sinais de que está querendo ser amamentado, oferecendo ajuda se necessário;
Passo 5 – Mostrar às mães como amamentar e como manter a lactação mesmo se vierem a ser separadas dos filhos;
Passo 6 – Não oferecer a recém-nascidos bebida ou alimento que não seja o leite materno, a não ser que haja indicação médica e/ou de nutricionista;
Passo 7 – Praticar o alojamento conjunto – permitir que mães e recém-nascidos permaneçam juntos – 24 horas por dia;
Passo 8 – Incentivar o aleitamento materno sob livre demanda;
Passo 9 – Não oferecer bicos artificiais ou chupetas a recém-nascidos e lactentes;
Passo 10 – Promover a formação de grupos de apoio à amamentação e encaminhar as mães a esses grupos na alta da maternidade; conforme nova interpretação: encaminhar as mães a grupos ou outros serviços de apoio à amamentação, após a alta, e estimular a formação e a colaboração com esses grupos ou serviços.

Com informações da assessoria