Gravidez

Os sintomas de gravidez são iguais para todas as mulheres?

 | 

Atraso na menstruação, náuseas, seios volumosos, enjoos, entre outros, são alguns sintomas de gravidez mais comuns. Mas será que eles são iguais para todas as mulheres? Afinal, cada corpo reage de um jeito nesse momento de transformação e preparação para a geração de um filho. Além disso, podem haver outros sinais que não ocorrem em todas as futuras mães.

O período de gestação é um momento único, onde o corpo começa a sofrer lentamente as modificações que vão prepara-lo para o desenvolvimento e nascimento do bebê.

De acordo com o Ministério da Saúde, os primeiros sintomas de gravidez iniciam quando o óvulo se instala na parede do útero, nos dias seguintes a uma relação sexual desprotegida. No decorrer dos dias seguintes, já podem aparecer os primeiros sinais de uma possível gestação, mas, por serem muito sutis, podem ser facilmente ignorados, às vezes, até confundidos com a tensão pré-menstrual.

Segundo a enfermeira obstétrica Sabrina Amazonas, a mulher que conhece o seu corpo e acompanha o seu ciclo menstrual tem mais facilidade em perceber os sinais da gestação. “Quando há mudanças no ciclo, geralmente, se consegue identificar mais cedo à gestação. Mas também há casos em que a mulher utiliza métodos contraceptivos, tornando a identificação da gestação mais difícil e tardia”, comenta Sabrina.

Atraso na menstruação, náuseas, enjoos, dores de cabeça, sangramento leve, alterações no apetite, cansaço e cólicas estão entre os sintomas de gravidez mais frequentes, porém, em muitos casos, algumas mulheres não sentem tais sinais. “A amenorreia (termo clinico para explica a ausência do ciclo menstrual) geralmente ocorre na quarta semana; náuseas e dores nas mamas, na quinta semana; aumento na frequência de micção (várias idas ao banheiro par urinar), lá pela sexta semana”, detalha a enfermeira.

Outras reações físicas e psicológicas também podem ajudar no diagnóstico clínico da gestação.  Os sintomas de gravidez, entretanto, não são iguais para todas as mulheres. Algumas vão apresentar todos os sintomas e, às vezes, nenhum deles, mas existem outras formas de descobrir a gestação, como por exemplo os exames laboratoriais. “Existem os diagnósticos hormonal, por meio de identificação do hormônio Gonadotrofina Coriônica Humana (HCG) na urina ou sangue; e também o ultrassonográfico, a depender da idade gestacional”, explica a enfermeira obstétrica.

os-sintomas-de-gravidez-sao-iguais-para-todas

Os sintomas de gravidez são diferentes para cada mulher, algumas não sentem nada. – foto: freepik

Leia também: Enjoo na gravidez: especialista dá dicas de como conviver

Dois filhos e sintomas de gravidez totalmente diferentes

Com gestações tranquilas, a jornalista Chris Reis (mãe de dois) relembra que os sinais da primeira gestação começaram com o aumento dos seios e desejos bem específicos. “Lembro que do nada senti vontade de comer x-salada com suco do Gordo (uma lanchonete tradicional de Manaus), e tinha que ser desse lugar, porém, comi apenas alguns pedaços e não quis mais. Também me lembro de sentir enjoos comendo ovo frito. Quando fiz o teste já estava com 2 meses”, conta Chris.

Depois da descoberta da gravidez, segundo a jornalista, os sintomas de gravidez foram os ‘básicos’, como enjoos e aumento de peso, embora a barriga só tenha começado a aparecer no sexto mês de gestação. Com um corpo se preparando para o nascimento do seu primeiro filho, ela dirigiu até a noite anterior ao parto, que foi uma cesárea.

Após quatro meses do nascimento do primogênito, Chris Reis conta que descobriu uma nova gestação, que não foi esperada e nem planejada, e que desta segunda vez, não ocorrem sintomas. “Não tive enjoos, mas na primeira semana de atraso da menstruação, eu já tinha certeza”, explica a jornalista, que durante a gravidez do segundo filho teve anemia.

Leia também: Especialista fala dos impactos da Covid-19 em gestantes e puérperas

Aviso antecipado

A psicóloga Raíssa Araújo, mãe da Alice, de 3 anos, está à espera do seu segundo filho, Francisco. Em sua primeira gestação, o único sinal visível que sentiu foi o atraso do ciclo menstrual. Com duas gravidez e sintomas completamente diferentes, o Francisco resolveu anunciar sua chegada por uma amiga. “Uma amiga sonhou que alguém que ela conhecia estava grávida de um menino, e eu tinha feito sexo sem proteção no dia da minha ovulação, já sabia da possibilidade. Na hora que ela contou sabia que era eu”, conta Raíssa.

Com a desconfiança de uma possível gravidez, a psicóloga logo resolveu fazer o teste para confirmar. Com gestações diferentes, os sintomas também mudaram. Na primeira, os sintomas de gravidez foram mais leves. “O sintoma estranho que tenho até hoje, é que meus enjoos não são matinais. Ele sempre acontece às 19h”, relata.

Thayssa Castro