Cuidado Infantil

Prisão de ventre infantil: saiba como a alimentação pode influenciar

 | 

Elas se contorcem, choram e sentem medo de ir ao banheiro. Já conhece esse enredo? Pois é, esses são sintomas clássicos da prisão de ventre infantil, um problema que aflige muitos pais e mães, e que pode afetar crianças de todas as idades, desde os primeiros meses de vida.

Mas o que causa a prisão de ventre infantil?

Segundo a pediatra Renata Castro, o problema pode ser influenciado pela má alimentação, principalmente quando essa apresenta deficiência de fibras, que contribuem para o bom funcionamento do trânsito intestinal.

Ela também explica que mesmo crianças em fase da amamentação podem sofrer com a prisão de ventre infantil. “Pode ocorrer do bebê demorar até 7 dias para evacuar, devido à grande porcentagem de leite materno que permanece em seu organismo, para fortalecer seu crescimento. A imaturidade do intestino do neném, que ainda não foi totalmente formado, também pode vir a causar a constipação.”

Leia também: Andar na ponta dos pés pode ser prejudicial para o meu filho?

mesmo bebês em fase de amamentação podem ter prisão de ventre infantil

Mesmo crianças em fase de amamentação podem manifestar a prisão de ventre – fotos: Freepik

Como identificar e tratar o problema

O primeiro sinal de prisão de ventre infantil, ou obstipação intestinal, são as fortes dores abdominais, que podem surgir de uma hora para outra. Além disso, dores de barriga pós-refeição e fezes de dura consistência também indicam um alerta para a prisão de ventre infantil.

A professora Lídia Raquel era mãe de primeira viagem quando sua pequena manifestou a prisão de ventre já nos primeiros meses de vida, o que persistiu por quase dois anos. “Precisei refazer toda a alimentação dela com a ajuda do pediatra. Ele passava alimentos ricos em fibras, mas, paralelamente, ela precisava ingerir muita água para que as fibras não causassem efeito rebote”, conta.

De fato, o tratamento da prisão de ventre infantil deve seguir orientação médica, e pode envolver desde a mudança de hábitos alimentares até o uso de laxantes, em casos muito específicos em que, mesmo com a alimentação regulada, a criança não consegue ir ao banheiro.

“É importante destacar que os laxantes não devem ser utilizados por tempo prolongado, para não prejudicar o funcionamento natural do intestino”, orienta a doutora Renata.

Alimentação e prisão de ventre infantil

Um fator determinante para o sucesso do tratamento da prisão de ventre infantil é a alimentação, que, segundo a nutricionista Fabiana Neves, deve ser o mais natural possível, incluindo verduras, legumes como quiabo e abóbora, frutas laxantes como mamão, ameixa e jaca, e muitas fibras.

“Além disso, o consumo de água e a prática de atividades físicas são extremamente importantes para combater a prisão de ventre infantil. Eles vão ajudar diretamente na formação e excreção do bolo fecal”, informa a profissional, complementando que crianças não devem fazer dietas restritivas, a menos que tenham intolerância a algum tipo de alimento.

Lunna Farias
Filhos&Tal