Bem-estar

Saúde ocular na infância: como identificar problemas de visão nas crianças

 | 

O diagnóstico precoce é a melhor forma preservar a saúde ocular na infância, daí a necessidade de pais e mães estarem atentos a quaisquer sinais que possam identificar problemas de visão nas crianças. Porém, dependendo da idade, nem sempre é fácil para o leigo perceber tais indícios, o que reforça a ideia de que, desde os primeiros dias de vida, os pequenos precisam de acompanhamento profissional regular e constante.

Problemas de visão não tratados podem acarretar prejuízos para toda a vida. Afinal, é através da visão que as crianças aprendem gestos, expressões, números e cores, quase sempre apenas observando ao seu redor.

Percebendo os sinais

Segundo a Organização Mundial da Saúde, 60% a 80% das doenças oculares podem ser prevenidas e tratadas se descobertas logo, mas quais os sinais e como perceber problemas de visão nas crianças?

A Organização Brasileira de Oftalmologia (CBO) informa que três em cada 20 crianças do ensino fundamental têm algum problema de visão, e alerta para alguns comportamentos que podem ser observados nas crianças, principalmente no início da vida escolar, que é quando a criança faz mais esforço para enxergar.

Olho torto (estrabismo ou vesguice), dor de cabeça, mal-estar (principalmente após ler, escrever ou desenhar), franzir a testa quando necessário olhar para longe, aproximar objetos do rosto, livros, cadernos e desenhos, bem como o desinteresse por atividades escolares que necessitam de leitura, estão entre os principais indícios de que algo com a saúde ocular na infância não vai bem.

Fatores externos também podem influenciar no comportamento da criança. Foi assim que Evelyn Souza descobriu o problema de visão do filho, aos 2 anos. “Ele tinha sensibilidade à luz, fosse solar ou não, mas eu nunca tinha associado que pudesse ser da vista dele. Ele sempre tentava se esconder em mim, ou colocava as mãos no rosto”, conta Evelyn.

A mãe relembra que foi após uma conversa de WhatsApp que atentou para a necessidade de levar o filho ao médico. “Estávamos falando sobre exames e avisaram que crianças deveriam ir ao oftalmologista uma vez ao ano. Foi aí que eu resolvi levá-lo, e para minha surpresa foi constatado que ele deveria usar óculos, e urgente”, ressalta.

Evelyn Souza destaca ainda que o uso correto dos óculos melhorou significativamente o problema de visão do filho, e que após 8 meses, o tratamento foi um sucesso. “Com o uso correto, diminuiu o grau. Agora, ele faz acompanhamento de 6 em 6 meses”, conta.

Leia também: Seu filho tem o hábito de mentir? Já se perguntou o porquê?

As doenças mais frequentes

As doenças que mais afetam a saúde ocular na infância são as refratárias, como a miopia, por exemplo, que devido ao número ocorrências, foi apontada como ‘epidemia do século’, pela Organização Mundial da Saúde. Isso devido ao aumento do uso de smartphones e computadores pelos pequenos. A doença pode ser descrita como um distúrbio que causa o ‘embaçamento’ de objetos à distância, como lousa escolar e TV.

Já a hipermetropia, ao contrário da miopia, causa o embaraçamento em objetos de perto, como copos, caderno e livros. Esse pode ser um dos motivos para as crianças terem dificuldades de ler e realizar atividades escolares.

Também entre os principais problemas de visão nas crianças, o astigmatismo causa distorções no modo de enxergar, tanto perto quanto longe. Neste caso, a mistura de hipermetropia e miopia, o que é muito pior para a criança, uma vez que a mesma vai ter mais dificuldade de ler e se comunicar. O comportamento muda significativamente, uma criança pode até mesmo ter dificuldades de se locomover devido o difícil reconhecimento do espaço ao seu redor.

Orientação

O Ministério da Saúde disponibiliza uma cartilha online para orientação de pais e escolas sobre a saúde ocular na infância. O material pode ser acessado e baixado neste link. São informações de detecções e intervenções precoce para a prevenção de problemas de visão nas crianças. 

Os professores também podem ajudar no processo de identificação de dificuldades de enxergar dos pequenos, observando em classe, os mesmos comportamentos que os pais devem observar em casa. Conforme a Organização Brasileira de Oftalmologia, é dever da escola incentivar os pais a fazem visitas frequentes ao oftalmologista, por meio de aconselhamento.

A CBO disponibiliza em seu site, vídeos educativos sobre saúde ocular, e como avisar pais e professores sobre algumas dificuldades.

foto: Freepik