Bem-estar

Saúde recomenda vacina contra sarampo a crianças que vão viajar

 | 

Atenção papais e mamães que vão viajar com os filhos de seis meses a menores de um ano de idade. O Ministério da Saúde recomenda vacina contra sarampo a crianças cujos destinos sejam cidades em situação de surto ativo da doença no país, como é o caso das que se encontram nos estados de São Paulo, Rio de Janeiro e Bahia.

O sarampo é uma doença infectocontagiosa grave, que provoca inflamação generalizada nos vasos sanguíneos, e é causada por um vírus (Morbilivirus) transmitido pelas secreções respiratórias. A doença é altamente contagiosa e de rápida transmissão.

Quando uma pessoa doente tosse, espirra, fala ou mesmo respira num local onde a outra não vacinada, pode contaminá-la até duas horas após, visto que as partículas virais ficam suspensas no ar. Os primeiros sintomas são febre alta, tosse, coriza e conjuntivite, seguidos de manchas avermelhadas pelo corpo.

O período de maior transmissibilidade do sarampo ocorre dois dias antes e dois dias após o início do aparecimento das manchas, mas pode ocorrer até seis dias antes e quatro depois do surgimento dessas erupções na pele. A vacina é a única forma de prevenção à doença.

Leia também: Pediatra dá dicas de cuidados contra o Sarampo; saiba o que fazer

Nos pequenos visados pelo atual alerta do Ministério da Saúde (6 meses a menos de 1 anos), a vacina contra sarampo deve ser feita no período mínimo de 15 dias antes da data prevista para a viagem. Conforme o governo, além de proteger, esse cuidado pode interromper a cadeia de transmissão do vírus no país, onde 43 cidades nos estados anteriormente informados se mantém com surto ativo e crescente do número de casos confirmados.

Calendário de vacina contra sarampo
Também de acordo com o MS, a vacina contra sarampo para crianças que vão viajar (chamada de dose zero) não substitui e não será considerada válida para fins do calendário nacional de vacinação. Assim, além dessa dose que está sendo aplicada agora, os pais e responsáveis devem levar os filhos para tomar a vacina tríplice viral (D1) aos 12 meses de idade (1ª dose); e aos 15 meses (2ªdose) para tomar a vacina tetra viral ou a tríplice viral + varicela.

A vacinação de rotina das crianças deve ser mantida independentemente do planejamento de viagens para os locais com surto ativo do sarampo ou não. Na rotina do Sistema Único de Saúde (SUS), a tríplice viral está disponível em todos os mais de 37 mil postos de vacinação em todo o Brasil. A vacina previne também contra rubéola e caxumba.

Não há tratamento específico para sarampo, embora a medicina possa lidar com os sintomas e consequências da doença. A vacina contra o sarampo é administrada por injeção subcutânea, sendo altamente eficaz no salvamento de vidas ao longo dos últimos anos.

Filhos&Tal

1 Comment

  1. Pingback: Caderneta de saúde da criança passa a ser obrigatória após matrícula

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *